Se autorizado por Bolsonaro, salário mínimo para repor inflação iria para R$ 1.045, diz Ministério da Economia

Tema será debatido nesta terça-feira pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, com o presidente Jair Bolsonaro.

Isso geraria um aumento de gastos de R$ 2,13 bilhões.

Se autorizado pelo presidente Jair Bolsonaro, o valor do salário mínimo, necessário para repor a inflação de 2019, subiria dos atuais R$ 1.039 para R$ 1.045, informou nesta terça-feira (14) o secretário-especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues. Segundo ele, a decisão sobre o valor do salário mínimo ainda não foi tomada pelo presidente da República.

Ele informou que o tema será debatido ainda na tarde desta terça-feira entre o ministro da Economia, Paulo Guedes, e Jair Bolsonaro.

Em 2019, o salário mínimo estava em R$ 998. "O número, a partir do dado divulgado pelo INPC, levaria para aproximadamente R$ 1.045, se assim decidido pela Presidência", informou o secretário de Fazenda do Ministério da Economia. O reajuste adicional no salário mínimo está sendo considerado porque o valor, fixado pela área econômica para este ano, não repôs a inflação do ano passado - contrariando, assim, determinação da Constituição Federal.

Isso ocorre porque o reajuste autorizado, com base na última previsão do mercado financeiro para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de 2019 ficou abaixo da inflação oficial registrada pelo indicador - de 4,48%.

Categoria:Economia